13 tópicos importantes sobre planos de saúde no Brasil

Com a pandemia, muitas pessoas buscaram entender mais sobre o sistema de saúde do país que é grande e composto. O Brasil é o quarto no ranking mundial em números de médicos. São mais de 2,18 médicos para cada mil habitantes e mais de seis milhões de enfermeiros, técnicos e auxiliares. Hoje em dia, existe cerca de seis mil hospitais espalhados por todo o território brasileiro, desde os mais completos até os mais básicos. Mas o que nos faz ser número um no quesito mundial é o fato de termos um sistema de assistência integral e completamente gratuita que é mais conhecido pelo nome SUS.

O Sistema Único de Saúde (SUS) foi criado em 1988 e até hoje faz do Brasil, o único país com uma assistência médica totalmente gratuita e que atende toda a população brasileira. Com isso, para cidadão brasileiro que precise se consultar, o SUS oferece atendimento, internação e procedimentos cirúrgicos gratuitos. Mas esse não é a única forma de ter uma assistência médica. No Brasil, também temos um outro tipo de assistência suplementar que são os planos de saúde. E são eles que nós vamos tentar entender nesse artigo.

Principais planos de saúde do Brasil

Como o governo já oferece um órgão de saúde que atenda a população de forma gratuita (o SUS), os planos de saúde são entendidos como um sistema suplementar que é regulado pelo poder público. Criados por seguradoras especializadas em saúde, medicinas de grupo, cooperativas e instituições filantrópicas esses planos não são gratuitos.

Os principais planos de saúde, segundo uma pesquisa realizada em novembro de 2020 pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) são:

Bradesco Saúde, com 3,32 milhões de beneficiários;

NotreDame Intermédica, com 3,16 milhões de beneficiários;

Amil Assistência Médica, com 2,82 milhões de beneficiários;

Hapvida Assistência Médica, com 2,39 milhões de beneficiários;

SulAmérica, com 1,78 milhões de beneficiários;

São Francisco Saúde, com 780 mil de beneficiários;

Seguros Unimed Saúde, com 553 mil de beneficiários;

Assim Saúde, com 504 mil de beneficiários;

Prevent Sênior, com 490 mil de beneficiários;

Carências para Consultas Plano de Saúde

Ao contratar um plano de saúde, o paciente deve se ater a carência, ou seja, os dias necessários para que ele realize alguns procedimentos, como consultas, por meio do plano contratado. A média de carência para consultas é de 30 dias.

Carências para Cirurgias Plano de Saúde

Para realizar procedimentos cirúrgicos, o paciente pode ter que enfrentar uma carência de 6 a 24 meses, dependendo do plano que escolhido.

Agência que Regula Planos de Saúde

No Brasil, os planos de saúde são regulados por meio do poder público que utiliza a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), para regulação do sistema privado e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que é que cuida das questões sanitária e econômica do mercado de compra e venda de insumos hospitalares.

Quem Fiscaliza os Planos de Saúde

Os planos de saúde do Brasil são todos fiscalizados pela ANS que também é responsável pela regulação desse sistema privado.

Onde Reclamar de Planos de Saúde

Caso o beneficiário de algum plano de saúde queira prestar uma queixa do plano ele deverá procurar a ANS e registrar seu problema. Ele pode entrar em contato por meio do disque ANS (0800 7019656), por carta ou por formulário de atendimento eletrônico, ou ainda nos núcleos de atendimento presencial da agência.

Planos de Saúde que Cobrem Cirurgia Plástica

Segundo a ANS, procedimentos como cirurgias plásticas ou qualquer outro com finalidade estética não tem a obrigação de serem cobertos por planos de saúde.

Porém, caso a cirurgia tenha cunho reparadora, ou seja, que se o paciente não fizer irá afetar sua saúde, o plano poderá cobrir. Mas para que isso aconteça é necessário enviar um formulário feito pelo médico comprovando a necessidade cirúrgica. As cirurgias que se enquadram nesse caso, são:

. Tratamentos de queimaduras;

. Tratamentos de tumores na pele;

. Reconstrução das mamas;

. Reconstrução da face;

. Reconstrução pós-trauma.

Planos de Saúde que Cobre Bariátrica

Para que um plano de saúde realize uma cirurgia bariátrica é necessário que o paciente comprove a obesidade mórbida e que ela impacta diretamente na qualidade de sua vida. Ele também deve apresentar os seguintes critérios:

  • Ter entre 18 e 65 anos;
  • Ter realizado tratamento clínico por pelo menos dois anos, sem resultados satisfatórios;
  • Apresentar quadro de obesidade mórbida há mais de cinco anos;
  • IMC entre 35kg/m² e 39,9kg/m² com ou sem comorbidades;
  • IMC entre 40kg/m² e 50kg/m² com ou sem comorbidades.

Alguns planos de saúde que fazem esse procedimento, são: SulAmérica, NotreDame Intermédica, Prevent Senior, Central Nacional Unimed (CNU), Bradesco Seguros, Hapvida Saúde, São Francisco Saúde, Amil Assistência Médica dentre outros, seguindo a risca critérios da atual medicina avançada..

Planos de Saúde que Cobrem Parto

Para todos os planos contratados na segmentação hospitalar com obstetrícia, a cobertura do parto, tanto normal quanto cesárea, é obrigatória. Por isso, a maioria dos planos de saúde do Brasil cobrem todos os cuidados envolvendo esse procedimento.

Planos de Saúde que Cobrem Parto na Perinatal

Os planos que cuidam de toda a gravidez custeando tudo até o nascimento do bebê, são:

  • Amil 700.
  • Bradesco Top Nacional.
  • Golden Cross Especial.
  • One Health.
  • Lincx e Black.
  • Unimed Rio Delta e Ômega.
  • Sulamérica Especial.

Qual a Carência para Parto nos Planos de Saúde

A carência para partos nos planos de saúde é de em média 10 meses.

Planos de Saúde que Cobrem Cirurgia Ortognatia

A cirurgia Ortognatia é do tipo funcional que melhora a qualidade de vida do paciente. Portanto, segundo a ANS todos os planos devem cobrir esse procedimento.

Planos de Saúde que faliram

Alguns planos de saúde, mesmo os mais conhecidos, vem a falir. Aqui estão alguns que não funcionam mais: Good Life Saúde LTDA, UNIMED De Manaus COOP. Do Trabalho Médico LTDA e UNIMED Norte/Nordeste-Federação Interfederativa Das Sociedades Cooperativas De Trabalho Médico.

É muito importante que antes de contratar um plano de saúde o cliente veja todos os serviços que ele oferece ou não. Existem uma porção de planos e que variam de Estado para Estado, por isso é importante pesquisar e encontrar qual é o melhor para cada bolso e situação.

Escrito por: Gabriella Oliveira

Você pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *