Médico que cuida da coluna: qual é o ortopedista especialista?

Um dilema de saúde comum e que quase todo mundo já enfrentou ou ainda vai enfrentar é a dor de coluna. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) 80% da população tem algum problema de coluna, sendo as dores nessa região do corpo a principal queixa. Isso porque é nela que ficam as vértebras, discos e nervos que se encaixam entre si para sustentar todo o peso do ser humano e possibilitar sua locomoção. São muitas as responsabilidades para essa região do corpo assumir.

Muitas das dores de coluna podem vir e desaparecerem sozinhas. As causas podem ser um mal jeito, excesso de atividade física, má postura, entre outros. Mas caso o incômodo dure por cerca de três meses, aí está na hora de procurar um médico. Porém, esse é o dilema de muita gente. Qual é o médico especialista em coluna? Só no Brasil, existem 53 especialidades médicas, por isso é normal ter essa dúvida. Inclusive, em alguns casos o paciente pode até confundir uma dor de coluna que irradia para os braços ou pernas com outras doenças, como o infarto, por exemplo, e acabar indo ao médico errado. Então, qual seria o primeiro passo a se tomar ao notar uma dor na coluna frequente?

Qual médico de coluna você deve ir?

Para a Sociedade Brasileira de Clínica Médica, o primeiro médico que se deve procurar é o clínico geral. Há pessoas que recorrem ao “doutor Google” e acabam se autoexaminando com base em suas próprias pesquisas gerando confusão. Mas um clínico geral é capaz de resolver até 80% da maioria das queixas proferidas pelos pacientes e encaminhá-los ao especialista correto.

No Brasil, muita gente acha que o médico ortopedista é especialista em coluna. Ele realmente é, mas existem ainda outros três que podem resolver problemas nessa região. São eles: o reumatologista, neurocirurgião e o fisiatra intervencionista. Somente após consultar um clínico geral é que o paciente terá mais clareza de qual dos quatro deverá ir.

Médico ortopedista

O médico ortopedista cuida de problemas relacionados a musculatura e ao esqueleto do corpo humano como um todo. Por isso ele trata de pé chato, luxações, tumores ósseos, traumas ósseos, fraturas, osteoartrose, torções e deformidades na coluna. Ele pode sim realizar cirurgias, caso tenha se especializado.

Fisiatra intervencionista

Essa é ainda uma especialização que não é muito conhecida e popular no Brasil, mas que vem crescendo rapidamente. O fisiatra vai tratar de problemas na coluna com procedimentos minimamente invasivos realizados no ambiente hospitalar. Ele visa principalmente na reabilitação do paciente que tenha alguma fratura ou dor na coluna.

Neurocirurgião

Como o próprio nome já diz, o neurocirurgião cuida do sistema nervoso central, do cérebro e também é um especialista em coluna podendo realizar cirurgias. As doenças que ele trata são desordens dos movimentos tais como a doença de Parkinson, as distonias, a síndrome de Tourette, etc. Também pode cuidar de doenças vasculares, degenerativas, traumas cranioencefálicos e lesões raquimedulares. A neurocirurgia ainda pode ser dividida em 13 subespecialidades.

Médico Reumatologista

Por último, temos o médico especialista em reumatologia que cuidará de dores frutos de inflamações como a artrite reumatoide, tendinites, artrose (desgaste da cartilagem), fibromialgia e a osteoporose. 

Tipos de tratamentos para doenças na coluna

Após consultar o médico mais indicado para os sintomas apresentados e depois de ter descoberto a causa da dor, chegou a hora de fazer o tratamento. Existem três tipos de tratamento para aliviar problemas na coluna.

Tratamentos conservadores para a coluna

Costumam ser os mais recomendados pelos especialistas e se baseiam em medicamentos anti-inflamatório, analgésico e relaxante muscular e fisioterapia, RPG ou alguma atividade física que auxilie no melhoramento das dores.

Tratamentos não cirúrgicos

Esse tipo de tratamento para a coluna, normalmente é feito pelo fisiatra intervencionista. Usando tecnologia e o estudo em anatomia, o especialista irá fazer procedimentos sem que aja cortes ou sangramento no paciente, como aplicação de anestésicos e anti-inflamatórios em articulações intervertebrais ou nervos, terapias por radiofrequência, discografia provocativa, dentro outros.

Tratamentos cirúrgicos

Em último caso, encontra-se o tratamento na coluna por meio de uma cirurgia que pode ser realizada apenas por um por um ortopedista cirurgião ou neurocirurgião. Por ser extremamente invasiva e arriscada, esse procedimento nem sempre costuma entregar bons resultados. Às vezes a cirurgia na coluna pode até acarretar em mais problemas. Contudo, somente 5% dos casos de doenças na coluna tem como solução um procedimento invasivo. Doenças como a espondilolistese podem vir precisar de cirurgia.

O melhor tratamento para a coluna sempre será a prevenção. Por isso é importante fazer alongamentos, exercícios físicos na medida certa, manter uma boa postura para que isso não vire um problema mais sério no futuro.

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *