Médico especialista em ortopedia: o que é e o que faz?

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), cerca de 80% da população sofre com dores na coluna. Visto isso, percebemos que esse é um problema bem comum na nossa sociedade e que pode variar de crianças até idosos. As causas desses desconfortos na coluna podem ser vários, mas os mais comuns são má postura, excesso de exercícios físicos ou de peso corporal e problemas mais crônicos, como fraturas ou inflamações.

Ao sentir um desconforto na coluna persistente, um médico deve ser procurado. Mas essa é uma dúvida frequente entre muitas pessoas. Seria o ortopedista o médico ideal para tratar de qualquer problema na coluna? Do que esse especialista cuida, afinal? Na medicina existem mais de 53 especialidades médicas, então é normal não saber quem procurar. Mas vamos tentar entender um pouco mais sobre o médico ortopedista.

O que é ortopedista?

O nosso corpo é um grande sistema locomotor. Para fazermos todos os movimentos que fazemos é necessário que todas as partes que sustentam o nosso corpo estejam funcionando bem. E ser um ortopedista é justamente cuidar de todo esse sistema que envolvem ossos, articulações, músculos, tendões e ligamentos.

O que faz um ortopedista?

Um ortopedista irá cuidar de todos os movimentos do seu corpo e dos problemas que podem aparecer. Para isso, ele poderá solicitar diversos exames como raio-X, densitometria óssea, tomografia computadorizada e ressonância magnética para diagnosticar qual problema o paciente tem. Após averiguar o resultado dos exames laboratoriais, ele irá dizer qual o melhor tratamento para o paciente.

Os tratamentos que um ortopedista pode pré-médica são indicar equipe de fisioterapia, prescrever medicamentos, realizar cirurgias e acompanhar a recuperação e evolução de cada caso.

Ortopedista cuida de que parte do corpo?

Esse especialista cuida de todo o sistema locomotor do ser humano. Por isso, sua prioridade serão problemas envolvendo casos de lesões e deformidades ósseas, dos músculos, problemas de coluna, dos tendões, articulações e ligamentos.

As enfermidades ortopédicas mais tratadas são escoliose, osteoporose, hérnia de disco, lesão no ligamento, fraturas, lombalgia, traumas, tumores ósseos, postura incorreta e acidentes.

Qual a especialidade do ortopedista?

Para se tornar um ortopedista, além de fazer todo o curso de medicina, é necessário se especializar em Ortopedia e Traumatologia (TEOT). Esse profissional da saúde também pode procurar se tornar um Cirurgião Ortopedista e assim realizar procedimentos invasivos. Atualmente existem mais de 13 mil ortopedista no Brasil, sendo a maioria na região Sudeste.

Quando procurar um ortopedista?

O ortopedista deve sempre ser consultado se houver uma emergência como um acidente e fraturamento ou trauma de alguma parte do corpo. Com exceção desses casos extremos, você também deverá procurar esse especialista caso sinta alguns desses sintomas, como: dor constante nas costas; cansaço excessivo; rigidez pela manhã; alteração na estrutura do corpo; calor ou dor nas articulações.

Quanto custa uma consulta com o ortopedista?

Se você tem sentido muitas dores no corpo ou se identificou com alguns dos sintomas e doenças citados anteriormente nesse artigo, chegou a hora de procurar um ortopedista. O Brasil é um país de muita desigualdade, por isso o acesso a saúde nem sempre é fácil e acessível para todos. Então, qual seria o gasto com um ortopedista?

Você pode encontrar um ortopedista em vários locais. Eles podem atender em clínicas particulares e cobrarem valores altos que podem passar os R$200. Mas, eles também podem atender por meio de planos de saúde com valores mais acessíveis. Por isso, o paciente deve se informar se seu plano cobre consultas com esse especialista. Há também clínicas populares que cobram valores mais baixos, como R$40. E também há o Sistema Único de Saúde (SUS) que oferece atendimento com ortopedista gratuitamente. 

Como podemos ver, o médico ortopedista abrange diversos problemas ligados a movimentação do nosso corpo. É muito importante não tardar procurar esse especialista, porque dependendo dos sintomas pode se tratar de uma doença grave e que comprometa movimentos vitais do paciente prejudicando a sua qualidade de vida. Mas é claro que vários problemas podem ser evitados mantendo uma boa postura e exercícios físicos. Por isso, fique de olho e se cuide.

Redatora.: Gabriella Oliveira

Você pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *