Anestesia geral onde é aplicada: esclarecendo algumas dúvidas

Anestesia geral onde é aplicada é uma dúvida comum antes de qualquer procedimento cirúrgico. 

Até porque, todo procedimento invasivo, envolve dor, por isso se usa anestesia, e esta pode ser local ou geral. Essa última causa mais expectativa e medo.

Portanto, o funcionamento da anestesia geral é sedar a pessoa de forma profunda, onde ela não sente nenhum tipo de dor e que não tenha reflexos em seu corpo. Além disso, nesse estágio de sedação, a pessoa não deve sentir dor ou outro tipo de desconforto durante todo procedimento.

Por fim, para saber mais sobre esse procedimento fique conosco. 

Anestesia geral onde é aplicada: como funciona?

Ela surgiu nos EUA em 1842 com a ação de Crawford W. Long, ele foi o primeiro a usar éter sulfúrico como substância anestésica. Em 1848 a anestesia chegou ao Brasil.

A anestesia geral age diretamente no cérebro, e leva a pessoas a indução. Seu efeito ocorre em segundos, e a intubação vai depender do porte da cirurgia.         

Por isso, é feita a manutenção da anestesia geral para não perder a durabilidade antes do término do procedimento, o que seria desastroso.

Então, sob o efeito da anestesia geral o paciente fica totalmente inconsciente e sem sensibilidade em nenhuma parte do corpo.

Na anestesia local há um bloqueio na ligação do órgão ao cérebro, impossibilitando que a dor passe. O paciente é sedado para que não tenha reações durante o procedimento.

Anestesia geral onde é aplicada: quais os tipos?

Quando se trata de local, só existem dois caminhos que a anestesia entra no seu organismo, que será por inalação ou injetável.

Não existe uma melhor que a outra, ambas ocasionam o mesmo efeito. O tipo de medicação que o anestesista irá usar depende de alguns fatores, como: opção do anestesista, tipo de procedimento, perfil do paciente e até mesmo do estoque do hospital.

Anestesia Inalatória

Essa é composta de gases que contém anestésico, ela demora um pouco para agir. Pois, depois de inalada vai até os pulmões para chegar a corrente sanguínea e depois chegar ao cérebro.

A escolha do gás e sua dosagem fica a critério do anestesista que vai avaliar o tempo da cirurgia, como o perfil do paciente ou outros aspectos envolvidos no procedimento.

O paciente fica inalando o gás anestésico durante todo procedimento e para terminar basta tirar o gás. O corpo elimina naturalmente o gás.

Anestesia pela veia (Intravenosa)

Como o próprio nome diz, é uma anestesia geral injetável. Esse tipo de anestesia age mais rápido, pois a aplicação é direta na corrente sanguínea e o objetivo da anestesia é alcançar o cérebro.

Sendo assim, é um conjunto de medicamentos que formam as anestesias em qualquer uma das suas formas é esse conjunto que junto provoca a insensibilidade, relaxamento muscular, sedativo e até amnésia.

Esse estado de amnésia bloqueia a lembrança do momento cirúrgico, caso haja alguma complicação. 

Considerações finais

Agora que você sabe tudo sobre a anestesia geral, com toda certeza não haverá mais dúvidas ou até medo a respeito desse procedimento.

Por fim, entender o procedimento que você poderá passar seja agora ou no futuro, se trata de algo muito importante.

Leia também: Médico especialista em ortopedia: o que é e o que faz?

Você pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *